quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Hérnia lombar, é possível conviver com ela

Você tem hérnia lombar?

Sabe o que fazer?

A ideia é esclarecer alguns pontos importantes a respeito dessa que é uma das condições mais incapacitantes dos dias de hoje.

Sintomas: quando em crise, a dor tem irradiação para os glúteos ou pernas, e dependendo da localização da hérnia, a irradiação corre pela frente ou por trás da perna.

Atitudes: durante a crise, repouso e medicamento prescrito pelo médico.
Logo após a crise você deve fazer tratamento fisioterápico que, na 1ª fase irá focar na melhora da dor; na 2ª, no treino de músculos que estabilizarão a área; e na 3ª, conjugará exercícios de alongamento, fortalecimento, equilíbrio e aos poucos o integrarão às suas atividades.

O maior perigo está em não se determinar a causa.



O que isso quer dizer? Pense comigo. Se você não sofreu um acidente ou trauma que explicasse a presença da hérnia, isso quer dizer que seu corpo a produziu durante um longo período.
Se não tratarmos a causa, muito provavelmente o problema tornará a te atormentar.
Para que isso não ocorra é necessária uma avaliação criteriosa, levando em conta a integralidade ou globalidade. Todo o corpo está interligado; o conceito de tensegridade confirma isso.
Daí traçar uma linha de tratamento, com progressão segura, observando o comportamento e as reações aos diferentes estímulos no todo.

Depois da alta: é importante a consciência de que apesar de "curado", você terá que tomar alguns cuidados, já que uma vez que no local que a hérnia saiu (extrusou no termo médico), haverá um tecido cicatricial. Esse tecido é menos elástico e provocará uma alteração, no local da lesão.
Isso quer dizer que depois de uma crise a coluna fica um pouco mais vulnerável, não só sob o ponto de vista biomecânico - que envolve músculos, articulações, ossos, ligamentos, cápsulas articulares e cartilagens - como sob o ponto de vista de comando nervoso. Esse fato vai causar uma alteração no padrão de movimento, o que implicará em adaptação e alteração na forma como você realiza suas atividades diárias.

É fundamental que você saiba lidar com esse fato e se adequar a essa nova realidade.
Que se dedique a realizar exercícios diários que permitam a você conviver com essa condição da melhor forma possível. Entre eles estão os que aliviam a tensão do seu Psoas. A seguir os que retreinam o seu Core e assim o seu transverso.

Divida as cargas, não as carregue sozinho(a), respire plenamente, torne-se flexível, mais forte e estável.

Trate seu corpo, ou melhor, se trate com o carinho e a atenção que você merece.


Aproveite a chance para mudar alguns hábitos que garantirão muito mais do que um dia de bem estar


   

2 comentários:

Jaciara disse...

Convivi com dor lombar(hérnia de disco e nervo ciático) durante 30 anos. Só me vi livre dessas dores, depois que comecei a suplementar com Cloreto de Magnésio. A carência de magnésio e o excesso de cálcio é que causam a maioria das doenças do nosso tempo. Pesquisem... na Internet tem muita matéria sobre este mineral maravilhoso que é o Magnésio.

Patricia Italo Mentges disse...

Olá Jaciara, muito obrigada pela contribuição.
É importante olharmos para um problema tão complexo como esse sob várias perspectivas.
O fator nutricional, sem sombra de dúvida, é fundamental.
Abraços e um Feliz Natal e um super 2011 para voce!