quinta-feira, 29 de julho de 2010

Shiatsu na Fisioterapia


O Shiatsu já me trouxe muitas alegrias.

É uma técnica manual de tratamento oriunda do Oriente.

Suas origens vêm da China e foi desenvolvido no Japão.

Atua sobre os meridianos, que são caminhos pelos quais a energia "CHI" ou "KI" percorre nosso corpo, através de digito pressão.

Quem ainda não viu o meu site não sabe, mas o Shiatsu tem grande influência na minha formação profissional.

Na transição entre a Educação Física e a Fisioterapia, conheci o Shiatsu. Foi a 1ª chance de entrar em contato com uma forma mais sutil de abordagem terapêutica.

A medicina chinesa é reconhecida por seu caráter essencialmente preventivo; tanto a Acupuntura como o Shiatsu, na sua origem, tinham como principal objetivo detectar distúrbios energéticos antes que se expressassem fisicamente como doença.
Existe a curiosa história dos "médicos dos pés descalços" que tinham a incumbência de manter uma aldeia saudável, sem o aparecimento de doenças. Eles iam de casa em casa avaliando as pessoas e se alguém adoecesse por lá ele perdia o cargo.
Não é linda essa visão da medicina que prioriza a saúde e não a doença?
Durante algum tempo atuei atendendo com Shiatsu e pude constatar a sua eficácia; as pessoas que eram atendidas semanalmente, me relataram que perceberam sua imunidade aumentada, com diminuição dos episódios de gripe por exemplo, sem falar nas dores articulares e musculares e na qualidade do sono.

Foi uma experiência muito enriquecedora na vida pessoal e profissional.

Durante o curso pude observar aspectos interessantes, já que estudamos a cultura oriental como forma de entender mais facilmente o raciocínio da medicina energética.
Entrei em contato com uma cultura muito diferente da nossa e isso ampliou meus horizontes; abriu a minha mente a novas formas de pensar.

A visão de que temos dentro de nós a representação de todo o universo e que se vivermos respeitando a nossa relação com a natureza nos manteremos saudáveis é um dos pontos fundamentais.
Cada elemento, o ar, a água, a terra, o fogo e o metal representam orgãos e vísceras, que são suscetíveis a determinadas emoções, às estações do ano, e se relacionam entre si numa intrincada relação de geração e destruição.
Obs// Você pode obter mais informações no "Livro do Imperador Amarelo".

À medida que se aprofunda o conhecimento percebemos que há alguma semelhança com a medicina ocidental no que diz respeito ao desenvolvimento de patologias (doenças).

Há a teoria do Tao, aonde o Ying e o Yang  compõem tudo o que há na natureza. São energias opostas e complementares que interagem o tempo todo em constante movimento. Uma se origina da outra vai se desenvolvendo até se transformar, ou seja, dentro do Yang há um núcleo Yin que vai crescendo a ponto de se tornar Yang e vice-e-versa, numa ação contínua. Quando uma delas predomina sobre a outra, determina a disfunção e desequilíbrio energético.
                                                                 Ao lado o símbolo Yin - Yang
                                                                             
Constatei que os trajetos de alguns meridianos tendino-musculares, sobre os quais atuamos no Shiatsu, coincidem com as cadeias musculares, sobre as quais atuamos na Fisioterapia.
Se após a avaliação fisioterápica for detectada tensão aumentada na cadeia mestra posterior, o meridiano da bexiga vai apresentar vários pontos sensíveis à palpação.
Quando manipulo os meridianos previamente, a sessão flui com mais facilidade .
Além disso muitos pontos de tensão localizados nos músculos, denominados trigger points, se localizam ao longo dos meridianos energéticos e coincidem com pontos específicos localizados neles.

Muitas técnicas utilizadas na Fisioterapia, seja pela terapia manual ou através de movimento se desenvolveram a partir desses conceitos. 

Curioso não é?

Hoje meus atendimentos mesclam esses conhecimentos que interagem de forma harmônica e complementar.

É importante abrirmos nossas mentes a preceitos mais antigos que, mesmo antes de serem trazidos à luz da ciência, nos oferecem mais opções de tratamento e prevenção de doenças, seus distúrbios e dores.

Vale a pena viajar e mergulhar nessa cultura milenar que nos fascina pelo poder de percepção e observação minuciosa e atenta do ser humano.

Afinal somos muito mais do que um amontoado de ossos, músculos, órgãos e vísceras! Somos seres que pensam, sentem, se emocionam e reagem ao interagir com o meio e com os outros.           

2 comentários:

Gustavo Lunz disse...

Achei muito pertinente a costura do texto entre a Medicina Tradicional Chinesa e a Fisioterapia. Parabéns!

Patricia Italo Mentges disse...

Muito obrigada Gustavo.
Acredito firmemente na união de filosofias distintas no intuito de melhor atender as pessoas.
Abraços