sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Escoliose e Core Training aplicado a Fisioterapia

A escoliose é angustiante e afeta a auto-estima. No entanto, muito pode ser feito para ajudar; o que realmente importa é escolher o caminho certo para você. Além disso, é bem mais comum do que você pensa, apesar de eu reconhecer que é difícil encontrar alguém com ela quando você está no   shopping ou mesmo no seu colégio.
Novas idéias estão surgindo o tempo todo, novos tipos de colete e novas alternativas de terapia. Investigue todos antes de se decidir sobre a cirurgia. Com isso não estou dizendo o quê fazer ou não fazer, apenas creio que é extremamente importante saber dos tratamentos em vigor, claro que os abalizados e respaldados cientificamente e, que acima de tudo, apresentem resultados e proporcionem bem estar.

Então, exercite-se! Além dos exercícios fisioterápicos específicos (cinesioterapia própria para a escoliose),    

as atividades físicas são muito úteis e indicadas. A natação costuma ser indicada para a escoliose, pois trabalha a respiração e fortalece os músculos, porém NÃO É TRATAMENTO! {aliás, o fato de ela beneficiar a extensão da coluna deve ser levado em conta}. Os exercícios mantém os músculos das costas fortes, portanto, ajudam a estabilizar a curvatura! 
Postura é muito importante, não só mantem os músculos ao redor da coluna fortes, como realmente ajuda com a aparência. Uma postura caída, encurvada faz a giba (corcunda da costela) parecer pior.

Lembre-se, postura é fundamental para a manutenção de escoliose, uma vez que permite que os músculos das costas possam suportar corretamente a sua coluna, por isso não se largue! Essa postura caída enfraquece os músculos das costas e pode fazer com que a curvatura cresça desnecessariamente.  Além disso, a postura incorreta deixa a escoliose mais perceptível. Em uma postura ereta, a escoliose é mais difícil de ver.

Para ajudá-la(o) nisso já venho escrevendo e vou continuar a postar informações: esse é meu compromisso com você.

O Core Training aplicado a Fisioterapia vai ser um poderoso auxiliar no nosso arsenal, já que seu objetivo principal é fornecer, através de exercícios específicos, a estabilização vertebral tão nescessária na contenção da evolução da curva escoliótica.

Core Training aplicado a Fisioterapia incorporado ao princípio da tridimensionalidade vai: 
  • a) prover força necessária dos próprios músculos no sentido da correção nos 3 planos do espaço, 
  • b) tornar possível a estabilização dessa correção, mantendo-a ao longo do tempo, 
  • c) ajudar na adaptação à utilização do colete,muitas vezes necessário, 
  • d) manter a correção obtida por ele depois de sua retirada {estudos mostram uma certa perda da correção após a retirada do colete ortopédico}, 
  • e) preparar para a cirurgia, quando indicada, pois deixa a coluna  mais forte , porém mobilizada, facilitando o trabalho do cirurgião, 
  • f) auxiliar decisivamente no pós cirúrgico, já que uma pessoa que se exercita regularmente, além da muscultura, ganha benefícios na respiração e na circulação. Isso inflenciará positivamente na recuperação pós-cirúrgica, 
  • g) por fim, e não menos importante, o exercício atua na auto-estima. Pesquisas demostram que as alterações advindas de prática regular de exercício interferem na auto-imagem. 
Você não acha que há razões suficientes para acreditar na importância dos exercícios específicos fisioterapêuticos no tratamento da escoliose?

Para terminar, recomendo que não se preocupe.  Isso só faz com que você desgaste energia antes do tempo. Existem muitas pessoas com escoliose, alguns tiveram que se tratar cirurgicamente, alguns não, por optarem assim. Você deve fazer a sua investigação, para estar segura(o) , só assim você vai realmente se comprometer para fazer todo o possível a fim de atingir seu objetivo.

Lembre sempre que, por incrível que pareça, mais do que a técnica, a solução dependerá da motivação, disposição e comprometimento do paciente.

Então... ao trabalho!!!

6 comentários:

Julia Barroso disse...

BÓRA trabalhar!!!!!! rsrsrrsrsrrs

bjs e excelente post Patricia!

Patricia Italo Mentges disse...

Muito obrigada Julia querida!

Vamos nessa!

Temos muito a fazer!!!

CAROLINE disse...

muito boa a meteria tenho escoliose idiopatica do adolescente e tive que fazer cirurgia coloquei 16 parafusos e tirei 3 costelas.
usei o colete Boston mas nao deu muito resultado...
parabens pelo belissimo trabalho.

Patricia Italo Mentges disse...

Oi Caroline!
Que bom que gostou do post.
Há quanto tempo você fez a cirurgia? Está bem?
Trabalhar com a escoliose é desafiante, nos exige muita dediacação e estudo mas procuro estar sempre reciclando e o mais importante, para mim, é ter a certeza que nesse momento estou fazendo o melhor que posso.
Faço esse trabalho com muito amor.
E espero poder ajudar cada vez mais atuando também na divulgação e informação a respeito da escoliose.
Se voce tiver interesse de participar de alguma forma será muito bem vinda.
Beijos e tudo de bom!

Sylvinha disse...

Olá Dra.Patricia, adorei seu blog!!
tenho 41 anos e uma escoliose que me acompanha desde os 11 anos. Usei gesso, colete até parar de crescer... Minha curva foi contida,mas agora está me preocupando novamente... Fui a um ortopedista hoje e levei alguns raio x anteriores, a curva toraxica se manteve em 46 graus desde 2003, mas parece que a lombar está progredindo... Ele me pediu um novo raio x para confirmar...Me falou que se estiver progredindo teria que operar... Acredito muito no trabalho com rpg e fisioterapia... Não sei se hoje vc trabalha com isso ou se só está nessa parte acadêmica. Gostaria de tentar um tratamento com fisioterapia ou rpg com um profissional como a senhora, pois tenho certeza que conseguirei resultados satisfatórios... Como eu faço para conversar com a senhora?
Desde já, obrigada. Beijos!! e mais uma vez parabéns pelo excelente trabalho!

Patricia Italo Mentges disse...

Oi Sylvinha, vamos ver como posso te ajudar. Vou mandar por email meus contatos para que possamos combinar ok? O importante, claro que com responsabilidade, é se manter positiva.
Beijos e vamos nos falar!
Até lá!