sábado, 1 de maio de 2010

Chegando aos 50 ...


Muito próxima de alcançar a margem dos 50 anos estou pensando em tantas coisas...
Na finitude da vida, nas pessoas do passado e do presente, na natureza das relações, nas experiências vividas,
no estabelecimento de padrões e que cada ato tem suas consequencias.

O que representam os 50 anos? O prelúdio da "melhor idade", de aposentadoria da alegria?

Devo temer?

Como reagir?

A questão é visualizar novas oportunidades de enfrentar desafios com mais serenidade e passar todos os gestos pelo crivo do coração.

Ah... o coração! O coração que tem o mesmo prefixo que a palavra coragem.

Então : agir com coragem é o mesmo que agir com coração!

Essa tem que ser a minha prioridade.

É também abrir portas para novas alegrias e aprender e adquirir novas habilidades; o cérebro agradece a lisonja.

Os 50 incluem uma revolução hormonal que pode significar experimentar a vida com mais rugas, cabelos brancos e circunferencia maior, mas sem dúvida com mais jogo de cintura.
Não há a urgência de liberar energia vulcânica como na puberdade, a maturidade nos ensina a direcioná-la com bom senso.   

Estou aprendendo que pode ser poético estarmos nos transformando constantemente e que esses momentos de "pensar na vida", agora passam a ser regados por doses generosas de auto-aceitação e humor.

Um comentário:

Ana Barbara disse...

Vc não deve temer nada porque é uma pessoa maravilhosa, com um humor incrível e um exemplo pra todos nós. Te adoro!!!!