sábado, 5 de junho de 2010

O quadril e a lesão de joelho


Já postei algumas vezes assuntos relacionados a pelve ou quadril: Core, tranverso do abdómen, assoalho pélvico, pois é, isso me intriga e fascina!

Como já falei, o Core está intimamente relacionado à pelve, que por sua vez está ligada ao corpo todo.

A pelve, do ponto de vista fisiológico, abriga órgãos e estruturas que pertencem ao nosso sistema digestivo, urinário, circulatório, nervoso, osteomioarticular e reprodutivo. Com isso ela abriga a possibilidade da mais fantástica das funções, a perpetuação da espécie humana.

Não é de estranhar que a pelve seja central no corpo, conectando a parte superior e inferior do nosso corpo.

Do ponto de vista biomecânico, ela recebe o peso da cabeça, ombros, braços e tronco e absorve as forças de reação do solo, vindas dos membros inferiores.
Mesmo se você não pertencer à área da saúde pode ter uma idéia das forças que resultam alí.

Além disso é aí que se encontra o Centro de Gravidade do nosso corpo. Nosso centro neuro-mecânico de equilíbrio.

E tem mais!  Se lembrarmos do conceito de Tensegridade, 35 músculos se inserem (prendem) nos ossos que compõem a pelve.
Há músculos que se dirigem para cima, para baixo, transversalmente -lembram do transverso?- e diagonalmente.
Se cada um deles imprime tensão na pelve ou quadril, conforme são solicitados é possível visualizar a complexidade de suas ações.
Costumo brincar dizendo que parece um esquema de curso de dança por correspondência. São tantos traços e números que não sabemos por onde começar.

O nosso corpo é mesmo complexo e maravilhoso!

Como uma "peça" central a pelve exerce influencia e é influenciada por estruturas que se localizam distante dela.

Vou abordar, aos poucos,em posts intervalados, lesões aparentemente isoladas, mas que se revelarão ligadas à disfunção da pelve ou quadril.

Hoje vou comentar o artigo científico : "Uma comparação de força dos músculos do quadril (Pelve) entre mulheres sedentárias com e sem Síndrome de Dor Patelo-Femural"- SDPF - lançado pelo Journal of Orthopaedic & Sports Physical Therapy de 01/06/2010. Está "fresquinho", acabou de sair do forno.

Vamos lá, essa síndrome de nome enorme é muito comum entre as mulheres. Ela se caracteriza por uma dor na região anterior do joelho, que aparece quando subimos e descemos escada - pior na descida - e ao levantar após permanecer sentada por algum tempo. É aqui que muitas mulheres falam: ih! eu tenho isso!.

Esse estudo teve como objetivo confirmar se a fraqueza dos músculos do quadril realmente é um fator importante na causa ou aparecimento da Síndrome de dor patelo-femural SDPF.
Testaram e compararam mulheres com a SDPF com as saudáveis , para suas constatações.

O resumo é que realmente encontraram fraqueza nos principais grupos de músculos do quadril, de forma mais evidente nos abdutores; sendo o mais comprometido, o glúteo médio.
Já li vários artigos revelando a fraqueza deste músculo, ou melhor, sua inibição, como causa de lesões em joelho.

Eles concluíram que a fraqueza dos músculos do quadril é um achado comum em mulheres sedentárias que apresentam a Síndrome de dor patelo-femural.

Isso confirma a teoria da integralidade ( globalidade ), e mais importante, nos alerta que o tratamento desse tipo de lesão NÃO DEVE SER LOCALIZADO!!!!!!! O fisioterapeuta tem que avaliar muito bem, incluindo outras estruturas e como Sherlock Holmes devemos seguir atentamente as pistas deixadas por todo o corpo, não só no joelho.

É aí que está a beleza do processo.

Elementar meu caro Watson!    

2 comentários:

milena disse...

é isso ai!
Globalidade = Cooperação = Funcional...

bjoss

Patricia Italo Mentges disse...

É isso mesmo!!!!

Todas as estruturas conectadas e interdependentes.

É importante divulgar essa ideia.

Essa percepção influencia diretamente no resultado de tratamento fisioterápico.

Bjs