sexta-feira, 2 de abril de 2010

O Diafragma e o Salgueiro


O Diafragma é um dos músculos mais importantes do corpo e um dos mais esquecidos, apesar de sua estreita relação tanto com a qualidade da respiração como com o grau de bem estar.

Se pudessemos viajar pelo interior do nosso corpo descubríamos paisagens muito similares às da natureza. Estar debaixo do diafragma, por exemplo, seria como estar debaixo da copa de uma grande arvore. Notaríamos como do tronco, formado pelo eixo da coluna vertebral, saem varios galhos fechados que lembram a copa de um Salgueiro chorão(um para-quedas ou uma medusa), formando uma especie de abóboda dupla, assimetrica e flexível, que se expande e contrai ritmicamente com o movimento da respiração.
A comparação com uma arvore me parece mais propícia, já que as arvores literalmente respiram.


Simbolicamente o diafragma divide e ao mesmo tempo comunica. Por cima dele o tórax guarda nosso aspecto sutil, nele se desdobram nossos ideais, expectativas, aspirações, que seguem uma direção ascendente. Por debaixo, o abdomem preserva a solidez, nossa permanência e raiz humana, alquimia emocional que nos mantem na terra.

diaphragm_med 

Uma fronteira permeável 

 

Diafragma é uma palavra de origem grega cujo nome (dia = através; phrag = diferença; ma = separação) o descreve como músculo que separa a cavidade abdominal da torácica, através do qual ambas se inter-relacionam.
Por ser o assoalho da cavidade torácica e ter o coração, através do pericárdio, aderido a sua parte inferior, o diafragma influi no ritmo cardíaco com seu movimento.
Por atuar como um teto para a cavidade abdominal ou um manto que cobre orgãos  como: o fígado, o estomago, o baço, o pancreas, os rins e os angulos do intestino grosso, suas ações também infuenciam os movimentos destes orgãos.
Os orificios, chamados hiatos, permitem a comunicação dos sistemas circulatório, linfático e digestivo através do diafragma. Por eles passam o esôfago, a arteria aorta, o conjunto linfático torácico, a veia cava e os ramos do nervo vago.
Se colocarmos os dedos ligeiramente acima da parte inferior do esterno, este é o ponto mais alto e central da parte anterior do diafragma. Nas costas, o ponto mais baixo do diafragma se encontra na vertebra L4, aproximadamente à altura da cintura.

UM REGULADOR DA POSTURA CORPORAL


 O diafragma está diretamente relacionado a certos aspectos posturais. Por sua posição central, o diafragma representa um ponto de união e conexão no sistema músculo-esquelético. Quando se inibem ou se limitam os movimentos diafragmáticos, a respiração se debilita, a coluna vertebral tende a encurvar-se, a musculatura das costas se tensiona e a pessoa enrosca, de certo modo, sobre si mesma. Pelo contrário quando o diafragma  trabalha  com liberdade, se amplia a capacidade respiratória, o que permite uma boa entrada de oxigênio. O organismo – sobretudo a coluna vertebral se fortalece e se facilita em grande medida uma boa postura corporal, associada à livre expressão de vitalidade.

Além disso há a estreita relação do diafragma com o musculo psoas e o musculo quadrado lombar. Os três têm a inervação do nervo Vago, portanto se inter-relacionam e são interdependentes.

Por tudo isso é indispensável que em todo tratamento fisioterápico sejam aplicados exercícios respiratórios.
A consciencia da livre expansibilidade e recolhimento dos pulmões é acompanhada de grande bem-estar;até os pensamentos fluem melhor!!!

RESPIRE e revitalize-se.

Um comentário:

Lívia disse...

Adorei Professora!!! Realmente o diafragma passa despercebido em alguns exercícios. Adorei a comparação com o Salgueiro!! Um grande beijo! Lívia Trivizol